top of page
  • Foto do escritorRedação SulTV

Secretaria da Saúde antecipa vacinação contra a gripe no Rio Grande do Sul

Assim que receberem as doses, os municípios já podem iniciar a imunização dos grupos prioritários.

Campanha nacional de imunização ocorrerá entre 25 de março e 31 de maio de 2024

Campanha nacional de imunização ocorrerá entre 25 de março e 31 de maio de 2024 - Foto: Marcelo Bernardes/Ascom SES


A Secretaria da Saúde (SES), por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs), orienta que os municípios do Rio Grande do Sul ao receberem as doses de vacinas contra o vírus influenza, causador da gripe, já podem iniciar a imunização dos grupos prioritários previstos pela Estratégia de Vacinação de 2024. Não será necessário esperar a abertura oficial da campanha nacional, prevista para 25 de março pelo Ministério da Saúde (MS).



De acordo com o MS, oficialmente, a campanha irá até 31 de maio, período em que as ações serão intensificadas e que os dados sobre a aplicação das vacinas estarão disponíveis no site do governo federal na página Campanhas de Vacinação. As 480 mil doses recebidas pelo RS começaram a ser distribuídas nesta terça-feira (19/3).

 

Os lotes saíram da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi), com sede em Porto Alegre, e estão sendo transportados por veículos da SES para as 18 Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS), que farão a entrega das vacinas aos municípios.

 

O Dia D da Vacinação está programado para 13 de abril e os municípios estão sendo orientados a realizarem atividades de mobilização nas comunidades para que a população procure os postos de vacinação.


Grupos prioritários


A estimativa de pessoas pertencentes aos grupos prioritários que devem ser vacinadas no Rio Grande do Sul é de 4.973.674. A meta é vacinar 90% de cada um dos grupos a seguir:


  • Crianças menores de seis anos de idade e a partir de seis meses de vida e, no caso de crianças indígenas ou com comorbidades, dos seis meses aos nove anos;

  • Trabalhadores da área da saúde em atividade na assistência, na vigilância e no apoio, além de cuidadores, doulas/parteiras e estudantes que prestam atendimento em serviços de saúde;

  • Gestantes;

  • Puérperas;

  • Professores de todos os níveis;

  • Povos indígenas;

  • Populações quilombolas;

  • Idosos com 60 anos ou mais;

  • Pessoas em situação de rua;

  • Profissionais das forças de segurança e salvamento;

  • Profissionais das forças armadas;

  • Pessoas com doenças crônicas e não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independentemente da idade;

  • Caminhoneiros;

  • Trabalhadores do transporte coletivo rodoviário;

  • Trabalhadores portuários;

  • População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas.


Importância da vacina


A infecção respiratória por influenza se apresenta em formas leves ou agudas. O objetivo da estratégia de vacinação é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade em grupos específicos da população, considerados mais frágeis ou suscetíveis ao vírus. A vacina contra a influenza promove imunidade durante o período de maior circulação do vírus, além de reduzir o agravamento da doença e o número de óbitos.


Como a influenza e a covid-19 continuam sendo agravos de risco para a saúde pública, principalmente para as pessoas não vacinadas, é importante que a população aproveite o período de campanha para atualização da situação vacinal também contra a covid-19.


A SES recomenda, ainda, o uso de máscaras de proteção facial por pessoas com sintomas gripais e reforça que elas devem procurar atendimento médico nas unidades básicas de saúde para diagnóstico e tratamento.


Texto: Ascom SES

Comments


bottom of page